SIGA-NOS:

  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • w-facebook

Copyright© 2015 - Todos os Direitos Reservados a Drª. Érica Azevedo - especialista em Alergia e Imunologia

Como se proteger dos mosquitos?

 

 

Está chegando o verão! Essa época é muito boa para quem tem alergia respiratória, contudo, existem outros tipos de alergia, como a dermatite atópica e a alergia a picada de inseto que costumam piorar nessa época. Por isso, vou dedicar os próximos posts aos cuidados que devemos ter no verão.

 

 

Hoje vou falar sobre a prevenção contra as picadas de inseto. Esse assunto está em alta, não só pela chegada do verão e, com ele, dos mosquitos, mas também pela transmissão do Zika vírus através do Aedes aegypti (que é mosquito da dengue) e sua associação com a epidemia atual de microcefalia. Então essas dicas são importantes não só para as crianças, como também para as gravidinhas.

 

Para se prevenir contra as picadas de inseto não basta só usar repelente, existem outras medidas preventivas que também são importantes:

 

- Roupas funcionam como barreiras físicas, o ideal é que cubram braços e pernas e sejam de cor clara (as cores fortes atraem os mosquitos).

 

- Evitar o uso de cosméticos com cheiro (cheiros fortes, principalmente florais vão atrair os insetos) -então, nada de perfume!

 

- Evitar passeios em áreas com infestação de mosquitos (não tem jeito, se o local é cheio de mosquito, a gente acaba levando uma picada mesmo com toda a prevenção)

 

- Telas em portas e janelas também são barreiras mecânicas que são bem úteis - O uso de mosquiteiros também pode ser muito bom. É importante lembrar que os poros de telas e mosquiteiros devem ter no máximo 1,5 milímetros.

 

- Manter os ambientes refrigerados com ar condicionado é uma medida altamente eficaz para afastar os mosquitos. E vamos combinar que é uma delícia no verão ;)

 

- Evitar o acúmulo de água parada que pode servir como local de criação dos insetos, isso vale para a dengue e para o Zika vírus também (afinal de contas é a mesma espécie de mosquito que transmite as duas doenças). É importante a limpeza do terreno da casa e a retirada de lixo e entulhos onde possam acumular água. Sem querer ser a antipática da vizinhança, acho que vale a denúncia dos locais com foco do mosquito na prefeitura. Se você tem perto de casa um terreno com entulho, você pode fazer a denúncia na Secretaria Municipal de Saúde (no Rio de Janeiro é pelo número 1746).

 

- Por fim, o uso de repelentes, mas eles devem ser utilizados da forma correta, do contrário não terão o efeito desejado.

 

O repelente funciona formando uma camada de vapor através da evaporação do princípio ativo, gerando odor repulsivo aos insetos. Comprovadamente protege 4 centímetros da área aplicada. Então, para termos a maior eficácia do repelente devemos:

 

- Ser generoso ao aplicar o produto, para que haja uma quantidade suficiente para espantar os mosquitos.

 

- Aplicar o repelente de forma homogênea pelo corpo. Lembre-se de que ele só protege até 4 centímetros de distância.

 

- Para crianças entre 6 meses a 2 anos, devemos aplicar o produto somente uma vez ao dia, de 2 anos a 7 anos devemos aplicar somente 2 vezes ao dia, e entre 7 e 12 anos até 3 vezes. Acima dessa idade pode aplicar conforme orientação do fabricante.

 

- Use o repelente somente nas áreas expostas e nunca sob as roupas.

 

- Não utilizar protetores solares que contenham repelentes, além de reduzir a eficácia do repelente, os filtros solares devem ser reaplicados com mais frequência que os repelentes, podendo aumentar a toxicidade dos mesmos.

 

Essas são medidas gerais para o uso de qualquer repelente. Eu não quis indicar quais repelentes usar pois existem muitas fórmulas no mercado e cada um vai ter um repelente mais indicado para o seu caso, idade e tipo de pele. Portanto, antes de escolher um repelente é sempre bom discutir com o seu médico qual a marca mais indicada para você.

 

Devemos lembrar também que os repelentes requerem algumas medidas de segurança. E não custa lembrar...

 

- Antes de utilizar um repelente é importante ler o rótulo do produto e, se possível, guardá-lo. 

 

- Se você estiver grávida, converse com seu médico para saber se a substância do produto é aprovada para você. Algumas substâncias são aprovadas para crianças menores apenas em baixa concentração e as marcas variam nessas concentrações. Além disso cada produto vai ter orientações diferentes quanto a forma de uso, o tempo de duração e a frequência de reaplicação.

 

- Não utilize o repelente próximo a alimentos, para evitar a ingestão acidental.

 

- Mantenha o repelente sempre longe do alcance de crianças.

 

- Não permita que a criança aplique o repelente. O produto nas mãos das crianças pode alcançar os olhos ou ser ingerido.

 

- Sempre lave as mãos após passar o repelente

 

- Evite passar o produto perto de áreas de mucosa (olhos, boca, nariz, genitália e períneo) ou lesões de pele.

 

- Se o repelente for em aerossol, o ideal é que o adulto passe o repelente em suas mãos e depois passe na criança.

 

- Não durma com o repelente no corpo.

 

- Se suspeitar de qualquer reação procure um serviço médico e leve o rótulo do repelente utilizado.

 

 

Agora com essas dicas simples você vai conseguir manter os mosquitos bem longe de você. Até a próxima!

 

 

Bibliografia:

1) Aires RT e Gourdouris E. Reações a picada de mosquitos. Revista de pediatria da SOPERJ. 2010; XI (2): 4-11.

2) Stefani GP, Patorino AC, Castro APBM, Fomin ABF, Jacob CMA. Repelentes de insetos: recomendações para o uso em crianças. Rev Paul Pediatr 2009; 27 (1): 81-9

3) Prurigo estrófulo – Reação de hipersensibilidade induzida por picada de insetos. Pronap 2014; 17 (2): 74-83

4) Jacob CMA, Patorino AC. Alergia e Imunologia para o pediatra. 1ª edição, 2009.

 

Please reload

Em Destaque

Dicas para quem tem asma e rinite – controle do ambiente - Parte 2

1/2
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Tags