Aprendendo a ler o rótulo - parte 1 - Alergia ao leite de vaca


Jarra de leite com palhas

Hoje o post é para quem tem alergia alimentar, mais especificamente, ao leite de vaca.

Parece fácil não tomar nada de leite, mas é muito difícil. Quando fazemos a receita em casa ainda é melhor, pois nesse caso temos o total controle dos ingredientes, mas quando vamos comer fora, ou compramos produtos industrializados, começa o problema.

Um estudo nos Estados Unidos demonstrou que 16% das reações alérgicas em pacientes fazendo dieta de exclusão ocorreram pelo não entendimento do rótulo do alimento e 22% pelo rótulo não conter o ingrediente em questão. Mas como? Bem, em primeiro lugar, se o ingrediente existir em pequena quantidade, o fabricante não é obrigado a colocar no rótulo. Além disso, por vezes eles colocam na lista o ingrediente com um nome que não é claro para a maioria das pessoas e as letrinhas são bem pequeninhas. Por isso, não basta só ler o rótulo, tem que saber ler o rótulo.

- Ao comprar qualquer produto SEMPRE leia o rótulo, mesmo que você ache que não levaria leite. Ele pode ser encontrado em locais inesperados. Por exemplo, muitos pães, torradas e até embutidos levam leite.

Vamos fazer uma brincadeira, eu coloco o rótulo e vocês vêem se conseguem achar o leite.

Attachment-1 (1).jpeg

foto (9).JPG

Attachment-1 (2).jpeg
foto 3 (4).JPG

Attachment-1 (6).jpeg
foto (10).JPG

- Leia e releia o rótulo! Toda vez que você for comprar um produto, mesmo que seja um produto que você já conhece, você deve ler o rótulo novamente. Isso porque as marcas podem mudar sua fómula e incluir ingredientes novos a qualquer momento, sem aviso prévio.

- Também é bom reler os rótulos ao guardar o produto e antes de servir à pessoa alérgica, pois como as letrinhas são pequenas, às vezes alguma coisa pode escapar.

- Como algumas vezes não se colocam ingredientes em pequenas quantidades, é sempre bom comparar os rótulos de produtos similares, se um biscoito leva leite, é provavel que outro igual leve também e o rótulo seja menos claro.

Attachment-1 (8).jpeg
foto (12).JPG

Attachment-1 (7).jpeg
foto (13).JPG

No primeiro rótulo vemos claramente a presença do leite, inclusive ele descreveu os ingredientes do recheio do biscoito, já no segundo, não tem o leite descrito, pode ser que ele tenha uma fórmula diferente, mas no caso de reações graves, o melhor é não arriscar...

- Cuidado com termos coletivos como tempero, aroma e corante, pois dentro desses pode conter leite. Por exemplo, “corante caramelo”, esse termo pode indicar a presença de leite no produto.

Attachment-1 (10).jpeg

Attachment-1 (9).jpeg

Outro exemplo, entre os ingredientes do biscoito temos gotas de chocolate, mas não sabemos de que essas gotas são compostas, não está especificado no rótulo, provavelmente leva leite.

Attachment-1 (11).jpeg

Attachment-1 (12).jpeg

- Desconfie do termo "sem lactose", leite sem lactose tem proteína do leite e não pode ser consumido por pacientes alérgicos. Além disso, a lactose é o açucar do leite, e pode conter traços da proteína.

- Evite também ingredientes que podem fazer reação cruzada com o leite de vaca, como leite de ovelha ou de cabra.

- Sempre desconfie de certos alimentos, mesmo que não tenha descrito leite nos ingredientes, como por exemplo:

  • Biscoitos

  • Achocolatados

  • Pudins

  • Embutidos

  • Sovete

  • Bolos

  • Tortas

  • Pães

  • Purê

- Lembre-se que não são só os alimentos que podem ter traços de leite em sua composição, por isso é importante também ler os ingredientes nas bulas de medicamentos.

- Sempre nos casos de dúvida podemos ligar para o SAC (serviço de atendimento ao cliente), o telefone vem na embalagem do alimento. Devemos perguntar se o alimento leva leite, é melhor que perguntar quais são os ingredientes do produto.

- Muitas vezes nos rótulos aparecem nomes que nunca pensaríamos que quer dizer leite. Por isso fique de olho para os seguintes ingredientes que podem indicar a presença de leite no alimento.

  • Caseína

  • Caseína hidrolisada

  • Caseinato de amônia

  • Caseinato de cálcio

  • Caseinato de sódio

  • Caseinato de potássio

  • Caseinato de magnésio

  • Fosfato de lactoalbumina

  • Lactato

  • Lactoferrina

  • Lactoalbumina

  • Lactoglobulina

  • Proteína do leite hidrolisada

  • Proteína láctea

  • Gordura anidra de leite

  • Composto lácteo

  • Sabor ou aroma caramelo,

  • Sabor ou aroma manteiga

  • Sabor ou aroma margarina

  • Sabor ou aroma baunilha

  • Sabor ou aroma queijo

  • Sabor ou aroma coco

  • Whey protein

  • Petit suisse

  • Nougat

  • Chantily

  • Ghee

  • Soro de leite

  • Bebida láctea

  • Lactose

  • Leite

  • Leite fermentado

  • Leitelho

  • Creme de leite

  • Nata

  • Queijo

  • Requeijão

  • Coalhada

  • Iogurte

  • Leite condensado

  • Doce de leite

  • Manteiga

  • Margarina (a maioria das marcas contém leite)

  • Chocolate

Como vocês podem ver, essa questão do rótulo não ser claro é um problema sério para quem é alérgico. Nos Estados Unidos, desde 2006 as indústrias tem que relatar os alérgenos comuns (leite, ovo, soja, amendoim, castanhas, trigo e frutos do mar) de forma clara e em linguagem simples em todos os rótulos. No Brasil, em 2014 surgiu um movimento nas redes sociais, promovido por famílias de pacientes alérgicos, a campanha Põe no rótulo - #Põenorotulo. Graças a essa campanha, no mesmo ano, a Anvisa promoveu uma consulta pública de projeto de norma de rotulagem de alérgenos em alimentos e a ASBAI, (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia) participou deste processo. É um passo muito importante para que os rótulos sejam claros e as pessoas com alergia alimentar tenham um risco menor de ingestão acidental. Vale a pena visitar o site da campanha e a cartilha deles para os pacientes alérgicos:

www.poenorotulo.com.br

www.poenorotulo.com.br/CartilhaAlergiaAlimentar_29AGO.pdf

Bibliografia:

1) Binsfeld BL, Pastorino AC, Castro APBM, Yonamine GH, Gushken AKF, Jacob CMA. Conhecimento da rotulagem de produtos industrializados por familiares de pacientes com alergia a leite de vaca. Rev. Paul. Pediatr. 2009; 27(3): 296 – 302

2) Simons E, Weiss CC, Furlong TJ, Sicherer SH. Impact of ingredient labeling practices on food allergic consumers. AnnAllergy Asthma Immunol. 2005; 95: 426 – 8

3) Muñoz-Furlong A. Daily coping strategies for patients and their families. Pediatrics. 2003; 111(6): 1654-61

4) Cartilha da Alergia Alimentar. Proteste/Põe no rótulo

5) www.poenorotulo.com.br

6) www.sbai.org.br/secao.asp?id=810&s=51

Em Destaque
Posts Recentes